RSS

Arquivo mensal: agosto 2011

Louvor a Deus.

Tu és um Deus grandioso.
Teu caráter é santo.
Tua verdade é absoluta.
Tua força é ilimitada.
Tua disciplina é justa.
Tu és um Deus grandioso.
A montanha do teu conhecimento não tem pico.
O oceano do teu amor não tem margem.
O tecido de tua fidelidade não tem rasgos.
A rocha de tua palavra não tem rachaduras.
Tu és um Deus grandioso.
Tua paciência nos surpreende.
Tua beleza nos fascina.
Teu amor nos comove.
Tu és um Deus grandioso.
Tuas provisões são abundantes para nossas necessidades.
Tua luz é adequada para nosso caminho.
Tua graça é suficiente para nossos pecados.
Tu és um Deus grandioso.
Declaramos, mesmo com palavras hesitantes, que teu plano é perfeito. Tu nunca te adiantas, nunca te atrasas.
Nunca és lento demais, nunca és rápido demais.
Tu enviaste teu Filho na plenitude do tempo e retornarás na consumação do tempo. Teu plano é perfeito.
Desconcertante. Intrigante. Perturbador. Mas perfeito.

Extraído de “He Reminded Us of You”

[Ele nos fez lembrar você],

“A Prayer for a Friend”

[Uma oração por um amigo]

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22/08/2011 em Conteúdo.

 

Eu quero ir!

E se meus olhos alcançarem o que ninguém mais vê?

E se minhas mãos chegarem aonde nenhuma outra chega?

E se ninguém mais for,

Eu vou?

E se eu ver que o sol não está mais tão forte,

E que o amor no coração das pessoas está diminuindo?

E se eu não enxergar o que tem lá no alto,

Ou o destino que está traçado,

Mesmo assim eu vou?

E se eu sentir que a paixão está acabando

E a esperança está morrendo,

Eu vou continuar?

E se eu ver que não se canta a canção tão forte como antes

E que a chama está se apagando

E se eu perceber que o caminho é longo demais,

Que minhas pernas estão cansadas e minha cabeça confusa,

Eu vou insistir?

Eu quero ir,

Eu quero ir,

Eu quero insistir!

Há um caminho mais alto,

Há um amor mais profundo,

Há um destino traçado que me leva a Você!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13/08/2011 em Conteúdo.

 

Missão Possível 6

Oi galera 😀 Quanto tempo ein! Então, fiquei de voltar com vários posts e tal, mas nem rolou, rs. Tinha dias que eu ficava só pensando e pensando e não queria escrever, e tinha dias que não dava tempo, rs. Mas ta ai um resuminho, pelo menos da primeira semana, em São Simão. Depois eu vou postar outras coisas que Deus falou comigo na viagem, mas, como eu sempre digo: Vamos com calma 😉

Ah, que coisa maravilhosa estar aqui. As pessoas são receptivas, e com as crianças, só de você sorrir elas se derretem. Cidade linda, linda, linda. Tudo tão bonitinho, tranquilo.

Tranquilo? Desculpa mas.. de tranquilo só na aparência. Essa cidade está tomada de carência e carência e carência. Batia na porta das casas e em muitas delas tinha um pai preso, uma mãe também envolvida com drogas ou bebida. Crianças com uma sede enorme de amor, abraços e afeto.

Ou, quando não era isso, era o outro extremo. Gente se achando espiritual demais para usar “5 minutinhos” conversando com a gente.

Que dor no coração. E lágrimas nos olhos. Hoje é sexta, dia 22 de julho de 2011. Amanhã a gente sai de São Simão e vai pra Campinas. Estou feliz porque vou pra Campinas, – uhu, mais uma semana de viagem 😀 – mas meu coração dói MUITO por sair daqui.

Sair e deixar as crianças que vinham do nada me abraçar e sorrir pra mim com os olhos brilhando. Deixar as casas que por algum motivo nenhum participante do PEPE passou. Deixar os senhores e senhorinhas sentadas nos banquinhos das calçadas não me vendo mais sorrindo pra eles com os olhos brilhando logo de manhã.

Deixar, deixar, deixar… vou deixar tanta coisa que eu não queria deixar. Vou embora levando tanto amor, – lê-se: taaaanto de Deus – tanta coisa que eu queria e devia ter falado. Tantos sorrisos que eu não dei. Tanto “bom dia” sorridente que estão precisando. Tanto amor. Tanto, tanto, tanto. Às vezes parece que eu to desde domingo acordando cedo, fazendo um monte de coisa, dormindo tarde. E quando eu deito pra dormir tenho a sensação de que eu não fiz nada.

Mas ao mesmo tempo eu to indo embora com tantas lembranças maravilhosas de momentos que Deus me proporcionou para ser Sua testemunha.

Não posso esquecer das pessoas que fui entrevistar e senti em meu coração uma compaixão, da qual eu tenho certeza de que foi meu pai que colocou em mim. Não posso esquecer de quando chorei com meu AMIGOS: Jéssica, Matheus e Tallyta – o Igor, meu maninho, e a Veronica também – porque falei “aproveitem que vocês estão em três que tem a mesma visão de levar uma vida de adoração. Porque eu estou ‘sozinha’ onde estou.”

Ah pessoas… que dor no coração. Como é difícil ter uma visão tão linda de missões e não ter com quem compartilhar. Não me levem a mal. Antes eu não falava nada mesmo, mas hoje em dia, graças à Graça de Deus eu tenho falado e mostrado muito mais do Deus que vive em mim para as pessoas. E isso não é difícil coisa nenhuma. Falar do que Deus faz na minha vida é um prazer – nem que for só pelo blog.

O difícil aqui é não ter amigos. É não ter por perto alguém pra você ir visitar quando quiser, ligar quando quiser ligar pra conversar ou até mesmo só chorar. O difícil é não ter amigos na igreja. Aqueles dos quais eu posso ficar ansiosa pra ver todo domingo, pelo simples fato de que eu amo adorar a Deus junto deles.

Se você tem esse privilégio, pare agora e agradeça a Deus por esse presente – ou esses presentes.

Mas isso não me impede de estar junto de Deus. Ele é o meu melhor amigo. Essa é uma das coisas que eu percebo que aprendi na dependência. Eu não desisto de ir nas viagens missionárias do PEPE das quais Deus tem me ensinado tanto dEle. Eu não desisti de chamar praticamente todo mundo do meu facebook, orkut e igreja para ir ao Ouse. Eu não desisti de chamar essas mesmas pessoas para ir ao Seminário Não Morda a Maçã que foi uma benção na vida da Jéssica, Tallyta e na minha. Eu não desisto de continuar chamando vocês para vir comigo nas viagens. Eu não desisto das pessoas quando o assunto é Deus mudar a vida delas através de mim. Não consigo desistir. O amor que está em mim é maior que minha vontade de desistir.

Eu não posso esquecer de orar pelas pessoas que conheci através do evangelismo nas casas. Orar pelos pais presos, pelas mães perdidas e desorientadas. Orar para que as famílias sejam unificadas. Orar pelas crianças. Vocês não tem idéia de como elas são inquietas e carentes. E não é porque toda criança é assim. A carência delas é de ter uma base, a família. E a base de uma família é Deus. Aquele que preenche toda a carência e abraços não dados. Ore por isso.

Não posso me esquecer do Gustavo. No Kids Games ouvia pessoas falando dele, mas, quando eu parei e olhei nos olhos dele, vi que o que ele precisava não era só de 5 minutinhos conversando no cantinho. Ele precisava de amor. Mais que isso: ele precisava – e precisa – de alguém que demonstre amor por ele.

Não sei te dizer exatamente, mas, acho que foi isso que eu fiz sem perceber. Estávamos no pequeno grupo com mais algumas crianças e ele não parava quieto. Eu levantei, sentei mais distante do grupo e chamei ele. E… ele veio O.o Ele veio, sentou do meu lado e começamos a conversar. Devo ter apresentado o plano de salvação umas… ah, várias vezes. Quando comecei a falar de oração, ele abaixou a cabeça e disse que ninguém o ensinava a orar, só a ficar com raiva.

Pensa numa hora em que trilhões de coisas passam pela sua cabeça. Todas voltadas à falta de Deus na vida do ser humano. Dali em diante eu vi que não era só de alguém com paciência que ele precisava, mas alguém que doasse o amor de Deus pra ele. Me dediquei à isso.

Foi muito bom conhecer ele. Mesmo com as bipolaridades e ciúmes, foi bom ver como Deus vai agindo aos poucos. Mesmo sendo criança, e mesmo que com 6 anos e já tenha passado por tanta coisa. É que Deus ama! Independente do que você é ou quer ser. Ele quer transformar a sua vida. Ele não quer mexer aqui ou ali, nem ajeitar ou limpar alguns detalhes. Ele quer te quebrar e te moldar de novo. Ele quer ver sua Nova Vida transbordar do que Ele fez em você.

Nossa, isso me lembrou do José Augusto, que fomos entrevistar em uma casa. Ele é “ex-usuário de tudo”. E ele disse que faz três anos que ele parou de usar (vários tipos de) drogas e de beber até gasolina. Isso depois de ter passado por uma casa de recuperação.

Ele disse que já passou por várias igrejas, só falta a batista, rs. E só não freqüenta uma igreja porque ele ainda não achou uma que fizesse bem pra ele. Ou melhor, ele corrigiu, dizendo que quando ele ia à igreja, ele tinha vontade de ajudar, nem que fosse pra varrer a igreja. Mas ele queria se abrir e falar – lê-se: demonstrar – o que Deus fez na vida dele. E sabe o que mais me doeu? Ele falou com exatamente (talvez tirando ou colocando alguma letra) essas palavras. Eu vi nas palavras e nas expressões dele a sincera vontade de falar sobre a mudança que ocorreu em sua vida. Meus olhos se encheram de lágrimas – falando nisso, to bem chorona nessa viagem :p – e eu comecei a pensar em como a própria igreja tem distorcido sua imagem.

A igreja foi criada por causa de Missões, esse é seu papel na terra. E eu peço a Deus que me ajude a ousar nessa área. É tão difícil ter uma visão tão boa de missões, mas estar praticamente sozinha com essa idéia na sua própria igreja. Peço que Deus não deixe esse amor em mim se esfriar ou morrer. E que eu use minha boca pra passar essa mensagem à igreja e minhas pernas para agir, tudo isso com o poder do Espírito Santo na minha vida.

Desde o começo da viagem – e isso vem de outras situações na minha vida – Deus tem me ensinado muito em relação a depender dEle. Que independente de quantas pessoas vierem na viagem, do que já se tem pronto ou da situação da igreja. Independente do que eu to pronta pra fazer, aprender ou escutar de Deus. Independente do que está teeeentando tirar meu foco de adorar a Deus. Independente de quantas pessoas não estarão dispostas a escutar do evangelho.. Deus tem um plano – lê-se: plano perfeito.

 

Bom, era +- isso. Muita coisa eu não escrevi, muita coisa eu tirei, arrumei e tal. Tanto que parece que ficou sem final, rs. Sabe porque.. isso não tem fim. Viver uma vida PEPE é mais do que ir em viagens missionárias, EBF’s, acampamentos, ou ir pra igreja todo domingo. É muito mais que isso. Quando amamos os perdidos de verdade, queremos compartilhar a nossa vida com eles, não só a mensagem do evangelho.

Às vezes eu fico pensando em o que a gente pensa quando canta ‘e agora eu quero viver pra transmitir esse amor que vem de Ti..’, ou ‘afim de proclamarmos as virtudes daquele que nos chamou..’, ou ‘quero ser usado da maneira que Te agrade em qualquer hora e em qualquer lugar..’.

Acho que não é indo pra igreja todo domingo e vivendo nessa bolha que a igreja criou como escudo, que é o estar juntos, numa panela fechada, que vamos conseguir proclamar as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa Luz, transmitindo o Seu amor sendo usados da maneira que O agrade.

É muito fácil falar de missões dentro da igreja, ajudar missionários com dinheiro e fazer campanhas. O difícil para o cristão é entender que o IDE é pra mim e pra você.

Não preciso ir pra África pra fazer missões. Existe bairros e pessoas por perto que precisam de Jesus Cristo. Porque as igrejas  insistem em mandar pessoas pra longe, sendo que ao redor delas tem um bairro, uma cidade, tem famílias que precisam de Jesus assim como quem está na África ou em qualquer outro lugar do mundo.

 

Vamos abrir nosso olhos. Depois que a gente recebe Jesus na nossa vida, se a gente não tivesse algo pra fazer aqui na terra, a gente já podia ir pro céu. Mas não, existe algo que Deus nos ordena. IDE, e pregai. É isso que Ele quer.

 

Quero enxergar as pessoas que precisam ser amadas que estão perto de mim, não quero ir procurar longe. E quero que você também enxergue isso, amém?

 

Sentindo, assim, tanta afeição por vocês, decidimos dar-lhes não somente o evangelho de Deus, mas também a nossa própria vida, porque vocês se tornaram muito amados por nós. 1 Tessalonicenses 2:8

 
Deixe um comentário

Publicado por em 07/08/2011 em Conteúdo.

 
 
%d blogueiros gostam disto: